SEGUIDORES DO BLOG

sexta-feira, 6 de julho de 2018

JOSÉ RAUL TEIXEIRA / BENEDITA MARIA - TRADIÇÕES E INOVAÇÕES


 TRADIÇÕES E INOVAÇÕES



  Quantas vezes você já ouviu alguém afirmar “no meu tempo é que era bom...”; “na minha infância tal coisa era melhor” ou “não se faz mais as coisas como antigamente...”?

Possivelmente, tenha reagido com dúvida quanto às maravilhas ou excelências desse “tempo passado” tão diferente, tão melhor. Por outro lado, pode ter-se mostrado com dúvidas diante de tanta coisa boa “do passado”, quando depara com criaturas tão difíceis, complicadas ou negativas no presente.

O que é importante para se refletir é que todo o tempo traz coisas grandiosas e maravilhosas em seu seio, tanto quanto apresenta coisas negativas e lamentáveis. Assim, não há porque enaltecer o passado e menosprezar o presente, quando encontramos belezas e feiuras num e noutro tempo.

O que caracteriza determinada época são os indivíduos nela renascidos, o que eles realizam e como suas realizações influenciam as sociedades em que vivem ou mesmo o mundo. O tempo de Jesus também foi o de Herodes, de Pilatos e de Barrabás. Enquanto o Divino Mestre semeou luz, amor e paz, a criminalidade foi o legado dos demais: o homicídio, a viciação e a covardia moral. A época em que viveu Adolfo Hitler também foi o tempo de Mohandas Gandhi e de Madre Teresa.

Uma determinada coisa não é boa por ser antiga nem é má por ser atual. Bom é que saibamos aproveitar as coisas boas, sejam do passado ou do presente, ao mesmo tempo em que aprendamos a rechaçar a impostura negativa de ontem como a de agora, evitando apegos indevidos a tradições retrógadas e perturbadoras ou a inovações descabidas e às vezes criminosas.


BENEDITA MARIA


Médium: José Raul Teixeira

Fonte: Ações Corajosas para Viver - José Raul Teixeira/Benedita Maria – Editora Frater.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

FRANCISCO SPINELLI - A RESPONSABILIDADE DE CADA UM


A RESPONSABILIDADE DE CADA UM



Muito se pedirá a quem muito recebeu.

O Pai é pródigo em distribuir seus talentos as suas criaturas. Para tanto, considera condições, possibilidades, necessidades, méritos, etc.

A Seara do Cristo é imensa. Vós sois os seus seareiros.

O Cristo está a chamar os seus trabalhadores para a tomada de posição, cada um a seu turno, isto é, na tarefa que lhe é devida.

Para tanto, há a considerar: pessoas, locais, tarefas e muito em especial os tarefeiros.

Dado a importância, volume e urgência de trabalho em todos os recantos, um chamamento se faz ouvir: responsabilidade consciente da grandiosidade da operação.

A inoperância não mais é aceita, diante dos compromissos de cada um e de todos.

Racionalização é a palavra certa.

O Consolador, prometido por Jesus, exige de seus adeptos ação dinâmica em todos os sentidos.

Fazei uso do pensamento, da palavra, da ação e principalmente do exemplo, na obra de difusão dos princípios básicos da Doutrina Espírita.

Entrai na história, fazendo parte dela, na participação ativa de todos os movimentos onde as criaturas se consagram para estudar, discutir e decidir.

Não é válido acomodar-se como mero espectador, aguardando soluções para um mundo melhor. E na meta de um mundo mais feliz para todos o conselho do Cristo é um só: pautar o dia a dia na vivência consciente do Evangelho. Este é o medicamento infalível, sem contraindicações e que cura os males de toda a ordem.

Há tarefas para todos, não importando se grandes ou pequenas. Em cada reduto, por mais esquecido ou inexpressivo que seja, há algo a realizar. E a hora de começar já passou.

Não mais comodismos, não mais indecisões.

Ide ou ficai, mas fazei a parte que vos cabe no sentido de esclarecer para libertar.

Não cabem mais as transferências de responsabilidades.

O momento pede pressa para o melhor aproveitamento do tempo, das oportunidades e das condições.

Quereis um mundo de paz e de amor. Mas estais laborando para que a humanidade caminhe em busca deste objetivo?

Sondai, portanto, onde estais situados, nesta campanha e começai logo, hoje mesmo, porque a ordem é de iniciar, prosseguir e jamais parar na perseguição constante do crescimento próprio, do próximo e por consequência de toda a humanidade.


FRANCISCO SPINELLI


Fonte: Livro: Pregando a Mediunidade – Coletânea de Mensagens do Espírito Francisco Spinelli em diversas Sociedades Espíritas, através de vários médiuns.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

HELAINE COUTINHO SABBADINI / RABINDRANATH TAGORE - GRATIDÃO


GRATIDÃO



Mestre, neste dia de júbilo, venho ofertar-Te a mais terna carícia de amor e gratidão! 

 

Os dias são aves que passam céleres!


E no soprar das horas do firmamento, nem sempre em lirial alvor, sei que também depararei com céus sombrios!

Defrontarei as tempestades do rigor daqueles que me desconsiderem os mais sinceros propósitos e chorarei os mais caros sentimentos, expostos à inclemência.

Compreendo, Senhor, que a vida é o abençoado educandário, que todos os dias fornece ao aprendiz ensejos diversos de aprender e construir.

Almejo sempre caminhar impregnado da Tua superior azáfama!

E embora encontrando a dor e a miséria, na convivência fria do orgulho e da vaidade, que passam indiferentes, eu permaneça estendendo o amor e prossiga!

Rejubilo-me pela oportunidade e honra de que me imbuis de servir em Teu nome!

Que jamais me abandone a ventura de suportar as farpas da agressão, como grandioso ensejo de edificar o bem!


E onde permeie a intriga e a maldade eu mantenha o mesmo sereno enlevo no coração obediente que aprendeu a pacificar-se no dever!

Em tudo, sempre, deposite em Teus sacrossantos pés o fruto de meus esforços!

Graças Te rendo, pela lágrima e pela alegria, meu Mestre e Senhor!



RABINDRANATH TAGORE





Médium: Helaine Coutinho Sabbadini
Livro: Fanal de Bênçãos